quinta-feira, 16 de setembro de 2010

A metamorfose - Franz Kafka

Texto com linguagem simples, mas conteúdo complexo e apurado. A historia deixa claro uma critica social da época, relatando a vida de Gregor e sua relação com o trabalho e com seus familiares, demonstrando sua realidade em vista da vida que levava com a necessidade de sustentar a família.
Kafka parece querer mostrar neste texto o quanto as pessoas são mais importantes enquanto uteis, inclusive para os entes queridos. Assim que Gregor deixa de ser o pilar financeiro da casa e se tornou um ser repulsivo, incompreensível, assustador e inútil, a família, que no começo - ainda na esperança que ele voltasse ao normal – aturava e cuidava como podiam, passa, depois de certo tempo, a tratá-lo mal como se fosse apenas um peso, um obstáculo. Como se ele fosse o culpado por ter deixado eles na situação que se encontram, e demonstram que ele realmente deixa de ser Gregor e passa a ser, de verdade, um animal.
Gregor mesmo passa a se ver assim, e fica confuso quanto a sua situação, acreditando que realmente poderia ter virado um monstro.
É interessante ver, também, que, logo depois que Gregor deixa de sustentar a família, que não trabalhava e vivia em situação de conforto graças a Gregor (este declara que a família não tinha condições realmente de trabalhar) esta passa também por uma “metamorfose”, pois aprendem a se virar, demonstrando que não trabalhavam por questões de boa vontade.
Qual a lição final do livro? Realmente acredito que possa ser interpretado pelo ponto de vista. Eu acredito que seja uma critica social e ao próprio ser humano. Parece ser uma visão clara do autor quanto à época, assim quanto a vida.

"A metamorfose de Kafka não conta apenas a história de um homem que se transformou num inseto. É sobretudo uma história de alerta à sociedade e aos comportamentos humanos. Nesta história, Kafka presenteia-nos com a sua escrita sui generis, retratando o desespero do homem perante o absurdo do mundo." Wikipédia

Onde encontrar: L&PM Pocket


1 comentários:

Conspiração Ideológica disse...

O ponto principal do livro, para mim, é a sensação de solidão de Kafka representada na transformação de Gregor numa barata. Sua inadequação, sua impotência (a parte das patas se mexendo no ar é realmente muito forte) entram em conluio com a falta de ´espinha´ da família (que não deixa de ser, da sua forma, um ente parasitário). Outra coisa que chamou minha atenção é que eu não senti com tanta força uma vontade de culpar a família pelo desprezo que recebe, mas sim uma culpa dividida... É um angustiante jogo de impotência, de cair de máscaras o qual ninguém pode ou quer culpar totalmente o outro pois sente, por sua vez uma certa culpa. É um dos meus textos favoritos pois é possível discutir ´ad eternun´ tudo o que ocorre. Abraços!!!

Postar um comentário